027 - sem tecto.JPG
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
 

A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras (OCCO), fundada em 2000, é uma formação apoiada pelas Câmaras Municipais de Cascais e de Oeiras e pela Direção Geral das Artes.

Considerada, uma das melhores formações deste género em Portugal, a OCCO é atualmente um elemento fundamental da vida cultural dos Concelhos de Oeiras e de Cascais. A uma temporada intensa dividida entre concertos sinfónicos, recitais de música de câmara e animações juntam-se atuações em quase todas as regiões de Portugal e várias apresentações no estrangeiro.

Em 2008, a OCCO criou o primeiro Conservatório Oficial de Música no Concelho de Cascais. A partir de 2014, iniciou a realização de Encontros Internacionais para jovens instrumentistas com o objetivo de aumentar a sua presença a nível internacional.

A OCCO tem protocolos de colaboração com dois dos mais destacados concursos nacionais: Prémio Jovens Músicos RDP e Concurso de Interpretação do Estoril.

No seu repertório a OCCO dá particular ênfase à divulgação dos trabalhos dos compositores nacionais e obras de compositores estrangeiros em estreias absolutas em Portugal.

A OCCO atuou em todos os festivais nacionais. A nível internacional destacam-se a sua apresentação durante Assembleia Geral dos Festivais Europeus, no Estoril, nos Festivais na Bulgária, Espanha, Itália e, recentemente, na Alemanha na famosa sala Tonhalle de Düsseldorf.

Entre muitos solistas e maestros que atuaram com a OCCO destacamos Lídia Mordkovitch, Alberto Lysy, Paul Badura-Skoda, Sequeira Costa, Stoika Milanova, Darco Brlek, Pedro Leon, Márcio Carneiro, Plamena Mangova e maestros Ricardo Averbach (EUA), Bernardo Adam Ferrero (Espanha), Sandor Gyudi (Hungria), Stefan Fraas (Alemanha) e Jesus Medina (México).

Atuaram com a OCCO artistas nacionais entre quais destacamos Manuel Ivo Cruz, Jorge Matta, Ana Bela Chaves, Aníbal Lima, Olga Prats, António Rosado, Miguel Henriques, Pedro Carneiro, Teresa Menezes, Ana Paula Russo, Luís Rodrigues, Sandra Medeiros Gonçalo Pescada, entre outros.

Em 2012, a Câmara Municipal de Cascais atribuiu à OCCO a Medalha de Mérito Cultural pelo seu contributo à cultura e à arte.

No ano do seu 20º aniversário, foi concedida à OCCO o Alto Patrocínio pela parte da Presidência da República Portuguesa. A OCCO foi criada e é, atualmente, dirigida pelo Maestro Nikolay Lalov.

Quarteto de Jazz | Marta Garret
 

Marta Garrett é cantora de jazz em Lisboa, onde divide o seu tempo entre atuações dos seus vários projectos e leccionar na escola do Hot Clube de Portugal.
Começou por estudos clássicos e aos quinze anos ingressou na mesma, para seguir a sua carreira Jazz passando pela Escola Superior de Música de Lisboa e pelo European Jazz Master's Program, que a levou a viver e atuar em Amesterdão, Berlim e Copenhaga.
Após uma residência de quatro meses no Maduro Bar, em Tóquio, voltou a atuar maioritariamente em Lisboa e Barcelona, onde pode ser ouvida com ZOE, Just In Trio, The Bop Collective, a solo, e em jam sessions.

Marta Garret Cantora.jpg
trompet.png
Bruno Santos guitarra.jpg
Quarteto de Jazz | Bruno Santos 
 

Inicia os seus estudos musicais aos 17 anos, ainda residente na Madeira, no Conservatório do Funchal. Dois anos depois frequenta o Conservatório de Faro e aulas com o contrabaixista Zé Eduardo.

Ingressa na Escola Luiz Villas Boas (Hot Clube) em Fevereiro de 1998.  Em 1999 representa o HCP no Meeting IASJ, orientado por Dave Liebman. Em 2000 começa a leccionar no Hot Clube, em 2001 na escola de Jazz do Barreiro e no curso de jazz do Conservatório da Madeira, através de um protocolo com o Hot Clube. Em 2009 assume a coordenação pedagógica da Escola de Jazz Luiz Villas Boas / Hot Clube de Portugal, onde ainda se mantém.

Leccionou, entre 2009 a 2018, na licenciatura e mestrado jazz da ESML (Escola Superior de Música de Lisboa).

Em 2014 foi-lhe atribuído o título de “especialista” na área do jazz, pela ESML.

Editou 4 discos em nome próprio, 3 como director musical e compositor do 7to do Hot Clube e 3 em parceria com o seu irmão, André Santos, no duo Mano a Mano.

Tocou com músicos como: André Santos, Bernardo Moreira, Pedro Moreira, João Moreira, Bruno Pedroso, Nelson Cascais,  Claus Nymark, Jorge Reis, André Sousa Machado, Filipe Melo, Alexandre Frazão, Carlos Barretto, Joana Machado,  Mário Delgado, Perico Sambeat, Chris Cheek, Donald Harrison, Herb Geller, Julien Arguelles, Demian Cabaud, Paulinho Braga, Jesse Davis, Peter Bernstein, Omer Avital, Benny Golson, John Ellis, Seamus Blake, Guillermo Klein, Miguel Zénon, Jerry Gonzalez.

Quarteto de Jazz | Nelson Cascais
 

Nelson Cascais é hoje um dos nomes mais sonantes no cenário do jazz português. Além de contrabaixista dotado de um som extremamente individual e de um apurado sentido de interacção, Nelson Cascais é um dos mais distintos compositores do jazz contemporâneo, qualidade à qual se junta a capacidade de, enquanto líder, fazer aflorar as mais importantes virtudes dos seus companheiros de grupo. Por outro lado, como fruto da sua versatilidade e fiabilidade, a actividade de Nelson Cascais como sideman tem sido preenchida com colaborações em estúdio e actuações ao vivo, em Portugal e no estrangeiro, com algumas das mais importantes figuras do jazz nacional e internacional como Robin Eubanks, Bernardo Sassetti, Jerome Richardson, Rick Margitza, Benny Lackner, Perico Sambeat, Ricardo Toscano, Maria João, Stefano D’Anna, Laurent Filipe, Ivan Padduart, Antonio Faraó, John Ellis, Aaron Goldberg, Mark Lotz, Markku Ounaskari, Kari Ikonen, Jorge Pardo, Jarmo Savolainen, Stefanno D'Anna, Carlos Martins, Mario Laginha, Salvador Sobral, entre outros.
Actualmente integra os grupos Liftoff, Joao Lencastre “Communnion”, The Amplectors, Nuno Guedes Campos Trio e Alma Nuestra.
Desenvolve vários trabalhos em nome próprio dos quais se destacam Nelson Cascais Quinteto, Sexteto e Decateto, The Mingus Project, Roda Viva e The Amplectors.
Com os seus próprios projectos para os quais compõe música original gravou os discos "Ciclope", "Nine Stories", "Guruka", “The Golden Fish” e “A Evolução da Forma”.
Lecciona no curso de jazz da Escola Superior de Música de Lisboa.

Nelson Cascais Contrabaixo.jpg
André Machado bateria.jpg
Quarteto de Jazz | André Sousa Machado
 

Iniciou os seus estudos de bateria em 1980 na Escola de jazz do Hot Clube de Portugal. Em 1985 frequentou a Academia dos Amadores de Música onde concluiu o 5º ano de Formação Musical.
Frequentou e participou em diversos workshops dirigidos e leccionados por músicos de renome internacional sendo de salientar os dos bateristas Kenny Washington e Alan Dawson (Projazz New York Jazz All Stars de 1991 e 1993, respectivamente); Paul Motian; Dom Famularo; Carl Palmer; do guitarrista John Abercrombie; e do saxofonista David Liebman.
Ao longo da sua carreira acompanhou diversos músicos conhecidos do panorama jazzístico internacional, tais como Tete Montoliú, Steve Slagle, Phil Markowitz, Conrad Herwig, Andy Shepard, Karl Berger, Benny Golson, Akiko Pavolka, Matt Pavolka, mas também nacionais de onde se podem destacar, António Pinho Vargas, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Barreto, Bernardo Moreira, Nelson Cascais, Pedro Moreira, André Fernandes, Jorge Reis.
Sendo um músico versátil, acompanhou diferentes artistas da música portuguesa. Entre 1984 e 1992 integrou a banda do cantor/compositor Fausto, com quem trabalhou regularmente. Entre 2000 e 2003 fez parte da banda da cantora/compositora Mafalda Veiga. Actuou e acompanhou também artistas como Vitorino, Sérgio Godinho, e Brigada Vítor Jara. Tem tocado regularmente desde 2002 com Rão Kyao. De 2007 a 2013 foi baterista do cantor Tony Carreira
Em 2013 criou um trio com o seu próprio nome, onde se estreou no festival de jazz AlémTejo e posteriormente actuou no Hot Clube de Portugal, no âmbito do evento “Histórias do Jazz em Portugal”, do qual surgiu o CD gravado ao vivo tendo como convidado o Rão Kyao.
Actualmente, é baterista das seguintes bandas/artistas:
Rão Kyao, Magano, Alma Nuestra, Companhia do Canto Popular, NÓA, Elas e o Jazz, 5teto Nuno Costa, 4teto César Cardoso, Crosscurrents.
A sua actividade tem-se dividido também como professor de bateria, tendo leccionado em diversas escolas de música. Desde 2008 que lecciona na Escola Superior de Música de Lisboa, onde é professor e coordenador do curso de bateria.

Maestro da Banda | Rui Nascimento
 

Natural de Samora Correia iniciou os seus estudos musicais na Sociedades Filarmónica União Samorense. Frequentou o Conservatório Regional Silva Marques e escola profissional de música da Metropolitana. É licenciado em instrumentista de orquestra na especialidade de eufónio pela Academia Nacional Superior de Orquestra. Participou em várias masterclass de tuba e eufónio.
A nível de direção, frequentou Cursos de direção orientados pelos maestros, Alberto Roque, Rui Silva, Robert Houlihan, Francisco Navarro Lara, entre outros.
Co-Autor de dois “Best Seller”.

Músico da banda de música da Força Aérea Portuguesa desde 2008.

Diretor artístico da banda da Sociedade Filarmónica de Muge e Banda Marcial de Almeirim.

Maestro Rui Nascimento.jpg
Foto Banda Muge.jpg
Banda da Sociedade Filarmónica de Muge
 

Fundada em 1 de janeiro de 1902, com a denominação de Sociedade Filarmónica Mugense.

Por volta de 1930/1940, mudou para a Casa do Povo de Muge, passando a ter o nome de Banda de Música da Casa do Povo de Muge.

Em finais de 1996, procedeu-se à sua legalização jurídica e como homenagem aos seus fundadores foi-lhe atribuída a designação de Sociedade Filarmónica de Muge.

Atualmente é composta por 35 elementos de ambos os sexos, sendo dirigida pelo Maestro Rui Nascimento. Para renovar os seus músicos e continuar a afirmar-se na divulgação e formação musical, na vila de Muge, no concelho de Salvaterra de Magos, e concelhos vizinhos, foi constituída uma Escola de Música que conta agora com 20 alunos, com apoio, Câmara Municipal Salvaterra de Magos, Junta freguesia Muge e de vários elementos da Banda e colaboradores externos.

Quarteto de Cordas | Marija Mihajlovic
 

Natural de Belgrado, Sérvia, Marija Mihajlovic iniciou os estudos de violino nas escolas de música Vladimir Djordjevic e Josip Slavenski, com o professor Zoran Ilic. Licenciou-se pela Faculdade de Música de Belgrado, com a professora Fern Raskovic, obtendo depois o título de Mestre em Artes na mesma instituição. Ainda como estudante, conquistou diversos prémios em competições de jovens músicos, além de se ter apresentado em recitais com a pianista russa Natalija Mladenovic, em diferentes cidades sérvias. Concluídos os estudos, em 2004, teve a sua primeira experiência profissional, tornando-se membro permanente do grupo de primeiros violinos da Orquestra Filarmónica de Belgrado. Depois de se mudar para o Brasil, em 2008, integrou a Orquestra Filarmónica de Minas Gerais durante sete anos. No ano seguinte, formou o Duo Mihajlovic/Bastos com a pianista Miriam Bastos, tendo apresentado vários recitais em Belo Horizonte, Patos de Minas, Brasília e Ilha de Paquetá, assim como em Belgrado, Roma e Buenos Aires. Ainda no Brasil, atuou como violinista principal da Orquestra Pianissimo, com a qual também se apresentou como solista. No ano de 2015 concluiu o mestrado em Performance Musical, na Universidade Federal de Minas Gerais, sob orientação do Prof. Dr. Edson Queiroz. Regressou à Europa em 2016, no seguimento da sua carreira académica, quando foi aceite no doutoramento de Ensino e Psicologia da Música da Universidade Nova de Lisboa, sob orientação do Prof. Dr. João Nogueira. Cultiva o trabalho pedagógico como professora de violino e maestrina da orquestra jovem do projeto Orquestra Geração. Desde 2017, participa nos eventos sinfónicos e camerísticos da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

Marija M2.jpg
OCCO_2018_Portrait-0015.jpg
Quarteto de Cordas | Gergana Bencheva
 

Nasceu em Sófia (Bulgária). Estudou na Escola Nacional de Música, em Sófia, com a Profª. Julia Anguelova. Enquanto estudante, gravou para a Rádio Televisão Nacional Búlgara. Em 1997, recebeu prémios no concurso nacional de música alemã e austríaca e no concurso “Jovens Talentos”.

Licenciou-se na Academia Nacional de Música em Sófia, na classe de violino da Profª. Ginka Gichkova. Actuou como solista em várias orquestras búlgaras.

Participou nas master-classes com I. Neaman, M. Frishenshlager, A. Kisš, E. Kamilarov, M. Minchev, M. Lapshansky. Foi concertino da New Simphony Orchestra, na Bulgária, e da Junge Europa Philarmony, na Alemanha.

É música efectiva da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras e professora de violino no Conservatório de Música de Cascais.

Foi membro estagiário da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, passando posteriormente a membro efectivo, sob a direcção do maestro Nikolay Lalov.

É professora de Violino no Conservatório de Música de Cascais.

Quarteto de Cordas | Cátia Santos
 

Começou os seus estudos musicais com 10 anos na classe de Guitarra da Professora Heloísa Monteiro. No ano seguinte, ingressou na classe de Violeta da Professora Isabel Pimentel, no Conservatório Nacional de Música de Lisboa.

Como experiência profissional, tem feito parte de várias orquestras, e grupos de música de câmara, tais como: Gustav Mahler Jugendorchester (1ª Viola); Orquestra Gulbenkian (Viola Tutti); Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras (Viola Tutti); Orquestra Sinfonica de Tenerife (Viola Tutti); Atlantic Coast Orchestra (1ª Viola); Lisbon Film Orchestra (1ª Viola); Orquestra da Cidade (Viola Tutti); Orquestra Concerto Moderno (Viola Tutti); Orquestra Permallets and Friends (Viola Tutti); Chmann Trio (manager e membro fundador); Vision Ensemble; Trio Di Mezzo Piano; Radio Zapping Quartet; Trio Satz; Quarteto Divertimento; Quarteto DaCatro; Quarteto Bach’us; Quinteto Fortissimo; etc.

Ao longo de toda a sua experiência profissional, tem trabalhado com maestros internacionalmente conhecidos, tais como: Vladimir Jurowsky; Lorenzo Viotti; Robert Ziegler; Christopher Bochmann; Joana Carneiro; Osvaldo Ferreira; Sebastien Bereau; Ernst Schelle; Michel Corboz; Fabien Gabel; Nikolay Lalov; Diego Naser; Martin Elmquist; Massimo Spadano; Jorge Matta; Jukka-Pekka Saraste; Susanna Malkki; Hand Lintu; Eduardo Garcia Barrios; Brian Mackay; Rui Pinheiro; Pedro Neves; Cesário Costa; Rui Massena; Carlos Garcia; Nuno Margarido Lopes; Luís Clemente; César Batalha; Alexandre Branco; Miguel Henriques; Ana Paula Mendes; etc.

Apresentou-se no estrangeiro, nas mais conceituadas salas do mundo, tais como: Teatro Alla Scala; Elbphilharmonie – Hamburgo; Concertgebouw – Amsterdam; Konzerthaus – Berlim; Teatro Comunale di Bolzano; Teatro Comunale di Pordenone; Rudolphinum – Praga; Semperoper – Dresden; Luxembourg Philharmonie; Forum of music – Poland; Auditório Nacional de Musica – Madrid; Palau de la Musica Catalana – Barcelona; Sydney Wentworth Galeries; Italian Forum – Sydney; Shangri La Hotel – Sydney; Musikverein – Viena; Auditório de Tenerife; Accademia Filarmonica di Verona; entre outras.

O trabalho de Cátia tem sido reconhecido, a solo e em música de Câmara, de diversas formas.

A solo tem-se distinguido em várias edições do Concurso Paços’ Premium com o primeiro prémio da sua categoria; juntamente com André Barros e restantes músicos, venceu o prémio para melhor banda sonora, em 2015, no Los Angeles Independent Film Festival. Esteve ainda nomeada, com o mesmo colega e amigo, em 2017, para o festival Hollywood Music in Media Awards, em Los Angeles, na categoria de melhor tema instrumental clássico/contemporâneo.

Realiza ainda todo o tipo de eventos a solo ou com o seu Trio de Cordas clássico Chmann Trio.

Aparte da sua vida de performer, Cátia Alexandra Santos é também professora de Viola d’Arco, Violino, Piano, Música de Câmara e Orquestra em várias escolas, nomeadamente, o Conservatório de Lisboa, o Conservatório d’Artes de Loures, o Colégio Mira Rio e o Colégio Sagrado Coração de Maria.

IMG_3887 - Catia.JPG
OCCO_2018_Portrait-0019 - Viktoria.jpg
Quarteto de Cordas | Viktoria Chichkova
 

Nascida em 1971, em Sófia, começou a estudar violoncelo aos sete anos na Escola Profissional de Música de Sófia, sob a direcção da Prof. Todor Baharov.

Em 1982, ganhou o 2º prémio no Concurso Nacional “Svetoslav Obretenov”, para crianças até aos 12 anos. Em 1986, ganhou o 1º prémio Concurso Nacional para Música de Câmara. Fez a sua estreia como solista em 1988, com diversas orquestras (Sófia, Shumen, etc.). Em 1989, ganhou o 1º prémio no Concurso “Jovens Talentos” em Kjustendil.

Também em 1989, gravou para a Rádio Nacional o Concerto para Dois Violoncelos e Orquestra, de A. Vivaldi e outras obras para Música de Câmara. Fez também gravações para a Televisão Nacional da Bulgária. Frequentou cursos internacionais para violoncelo em Itália e nos Estados Unidos da América, onde ficou durante dois meses.

Prosseguiu os estudos de especialização em violoncelo na Academia Superior de Música de Sófia, entre 1990 e 1995. Após concluir estes estudos, veio residir com a família em Portugal. Desde 1996, que toca com a Orquestra de Câmara Cascais e Oeiras. Em 1998, começou a leccionar na Escola Profissional de Música de Évora, como professora de violoncelo e música de câmara.

Actualmente, é membro efectivo da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, sob a direcção do Maestro Nikolay Lalov, e é professora de violoncelo no Conservatório de Música de Cascais.

Digital_PT_4C_V_FC_Cultura.png
Logo DGArtes sem fundo.png
_NovoLogo_OCCO-H_Preto.png
LOGO SEM FUNDO Casal Branco.png
Logotipo Casa Cadaval Muge resize.jpg
Museu da Música.jpg
logo_fundacaoMbcp_vs1.png
Cherry Bloom.png
cork.png
Ashira Capital.png
escaroupim.png
LOGO INSTA.jpg
logoVerallia-VECT-cmjn.png
logo_JOCAVI-transparente.png
Alpiarça.tif
falcoaria.png
Jardins Históricos_Rota do Tejo.jpg
Antena2_positivo_vert_RGB.png
17a3d203f98201d7d02.png
logo CMAlmeirim.png
Casa dos patudos.tif
BORREGO-LEONOR-LOGO-810x486.jpg
O ALMEIRINENSE.png

Com o apoio de:

Brasão Misericórdia de Santarém.jpg
Logo Madeca (2).jpg